IBGE não precisa mais incluir perguntas sobre orientação sexual no Censo 2022

O Tribunal Regional Federal da 1ª Região, em Brasília, suspendeu os efeitos da liminar concedida pela 2ª Vara de Justiça Federal do Acre, que obrigava o IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística a incluir perguntas sobre orientação sexual e identidade de gênero no Censo de 2022.

O desembargador federal aceitou a argumentação de que a medida comprometeria os parâmetros técnicos adotados para a realização da consulta. O IBGE argumenta nos autos que não há tempo hábil para a inclusão da pergunta no questionário da maior consulta realizada em todo o país, com início previsto para 1º de agosto.

O Censo Demográfico ocorre a cada dez anos e deveria ter sido realizado em 2020, mas foi adiado, primeiro, por causa da pandemia do novo coronavírus e depois por falta de recursos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.